Como curar a ressaca?

                  Festas de fim de ano chegando é muito comum beber com pouca moderação e acordar no dia seguinte com a famosa ressaca, mas então o que fazer?

                  Não há cura, pois a ressaca é um resultado da intoxicação por ingestão de álcool, enquanto o organismo não concluir a metabolização de todos seus componentes e elimina-los através da urina e suor, seu corpo sofrera os efeitos.

                  Muito conhecido pelos boêmios de plantão, a ressaca é o efeito mais indesejado após o consumo de álcool. Porém, apesar de conhecido pelo nome popular, a ressaca tem como nome formal veisalgia, cuja origem provem do norueguês Kveis, ou seja, “mal-estar depois da orgia” e algia, nome grego para dor.

Órgão: Efeito esperado:
 Estômago e intestino  Irrita a mucosa e retira a camada de proteção

 

Pode levar a gastrite ou úlcera

Cérebro Tem ação tóxica e inibe os neurotransmissores

 

Pode causar tremores

Fígado e rins  Causa uma sobrecarga e destrói as células

 

Pode provocar cirrose

Pâncreas Dificulta o trabalho e provoca lesões

 

Pode dar pancreatite

Coração  Destrói as células

 

Pode desencadear hipertensão

Sangue  Pode levar a anemia
 Sistema reprodutor É capaz de causar alterações menstruais, infertilidade e impotência

 

                 Porém o componente causador da ressaca não se resumo apenas ao álcool etílico. Na formulação de bebidas consideradas alcoólicas encontram-se diversos tipos de moléculas que provem tanto da fermentação natural quanto podem ser adicionadas durante o processo, o que inclui metanol, aminas, amidas, cetonas, polifenóis, e outras substâncias que dão sabor e cor às bebidas alcoólicas.

polifenol

Exemplo de um polifenol

                  Um dos componentes mais estudados é o metanol, produto secundário da fermentação. Apesar de ser encontrado em baixa concentração é um perigo a saúde pois é facilmente absorvido pelo organismo pois dissolve-se facilmente em agua e possui afinidade com lipídios(gordura) e seus metabólicos(produtos intermediários das reações causados pelo uso de enzimas) são extremamente tóxicos para o fígado e pâncreas, coração e rins e se consumido a longo prazo causar degeneração cerebral.

metanol

Metanol

                   Para metabolizar o álcool, o organismo possui enzimas especificas como a aldeído-desidrogenase 2 (ALDH2), ela atua como agente oxidante  do acetaldeído-resultante da metabolização do etanol-para acetato, diminuindo sua concentração e os efeitos intoxicantes do acetaldeído.

esquema

                Um fato interessante é que 40% da população do Leste Asiático apresenta uma deficiência na produção da enzima, o que os torna mais “fracos” ara beber, ou seja, os efeitos alcoólicos manifestam-se mais rápido e com maior acumulo de toxinas no organismo.

O que causam os sintomas?

-Vomito: O álcool possui pH ácido, se ingerido em grande quantidade, irritará a mucosa do estômago, o que fará com que  corpo tente elimina-lo da maneira mais rápida.

-Desidratação: Devido a seu efeito tóxico o álcool estimula o trabalho nos rins que precisam de cada vez mais agua na tentativa de diluir as toxinas, dessa forma, urina-se com mais frequência.

-Dor de Cabeça: A dor de cabeça pós bebedeira, por exemplo, é efeito da vasodilatação. Isso porque o álcool se espalha no sangue até o cérebro e seu efeito pode causar edemas. Como forma de defesa, o corpo expande as veias cerebrais.

-Dores no corpo: Com a desidratação perde-se muitos sais minerais essenciais para o funcionamento dos músculos, sem eles as fibras musculares tornam-se mais frágeis e suscetíveis a dor.

-hipoglicemia: O corpo interpreta o álcool como se fosse açúcar, por conta das calorias (7 kcal por grama). Isso faz com que o pâncreas produza mais insulina para quebrar o açúcar no sangue. Assim, o nível de gicose diminui e a pessoa pode ter uma crise de hipoglicemia levando a desmaios.

Apesar da eliminação completa levar de 6 a 8 horas, 90% do alcool ingerido na primeira hora é absorvido imediatamente. Portanto alguns cuidados podem auxiliar na melhora dos sintomas:

Em dias de ressaca, as principais dicas do hepatologista Luiz Carneiro e da consultora Ana Escobar são: caminhar, para fazer com que o metabolismo se regule, e comer alimentos leves, como saladas, frutas e grelhados, para não dificultar a digestão e sobrecarregar os órgãos que trabalharam para processar o álcool.

Referencias:

http://bioquimicadoalcool.blogspot.com.br/2012/06/ressaca-o-dia-depois-do-alcool.html

http://falaquimica.com/?p=435

http://www.acessa.com/saude/arquivo/ser_holistico/2011/03/31-armando_falconi/31-armando_falconi_02.jpg

http://extremosbiobio.blogspot.com.br/2009/06/intoxicacao-por-metanol.html

http://bioquimicadoalcool.blogspot.com.br/2012/09/uso-do-alcool-na-intoxicacao-por-metanol.html

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/12/cerca-de-90-do-alcool-e-absorvido-na-1-hora-e-eliminacao-leva-ate-8h.html