Por: Alexsandra de Amorim Moisés da Silva Lara Apesar de a destruição de ozônio na Antártida ter dimensões enormes, foi relativamente fácil para os cientistas entenderem a sua